Disrupt em 5 Passos

Pensar diferente é pensar “fora-da-caixa”?
outubro 5, 2017
DisruptHR São Paulo edição 1.0 dá o que falar na comunidade de RH
julho 11, 2018

Evento inédito no Brasil rompe com as tradições em gestão e liderança

Certamente você já esteve em algum evento com palestras. Um seminário, congresso, encontro, qualquer um desses (ou esse aí que você está pensando) sempre têm alguém conduzindo os conteúdos. O palestrante ou apresentador começa a falar e, em menos de 15 minutos o assunto já ficou entediante. Foi pensando em romper com esse padrão que os americanos Jennifer McClure, Chris Ostoich e Steve Browne criaram, em 2013, o DisruptHR, na cidade de Cincinnati (EUA). A inovação: conteúdos apresentados em apenas cinco minutos.

Loucura? Pode parecer! No entanto, essa loucura caiu no gosto da comunidade de gestores pelo mundo. Uma simples ideia e um grande desafio já aceito por mais de 1.500 palestrantes (até dia 1º de março de 2018 mais de 1.820 apresentações foram feitas ao redor do mundo), de 123 cidades, em 28 países. Desde o início foram 166 eventos, para uma comunidade com sede de inovação.

Atualmente são 302 organizadores oficiais, trabalhando por essa comunidade mundial. São Paulo acaba de entrar nessa estatística e terá o primeiro DisruptHR no dia 11 de abril, no Clube Transatlântico.

Afinal, como é o DisruptHR? Conheça em cinco passos:

1. Nada de apresentações longas e chatas. O DisruptHR apresenta entre 10 e 13 palestras de cinco minutos. Isso mesmo. Novas ideias, modelos e tendências em gestão de pessoas de uma forma dinâmica e inovadora. Temas variados relacionados a talentos, cultura e tecnologia, além das mais diferentes e relevantes experiências usadas em empresas de diversos setores.

2. É um grande desafio para o palestrante que terá apenas 20 slides e cinco minutos para passar o recado. E, claro, uma maravilha para o público que assiste um evento dinâmico e empolgante do começo ao fim. Todas as apresentações ficam registradas em vídeo e aparecem para o mundo (assista https://disrupthr.co/talks/ - conteudo em inglês);

3. O ambiente “disrupt” é alegre e descontraído. Tem momentos específicos de networking e ideias fora da caixa. Um modelo que segue a tendência do pensamento em comunidade, das atividades inclusivas e do conhecimento compartilhado. Depois do evento presencial, organizadores, palestrantes e participantes passam a formar uma comunidade de troca permanente;

4. Sempre tem diversão e comida boa. Café de boas-vindas, intervalo e networking são regados de delícias para comer e beber. Essa é a melhor forma de reunir pessoas, em torno da comida. Tem também entretenimento surpresa nos intervalos e sorteio de brindes;

5. O melhor de tudo isso: você sai cheio de novas ideias, insights, novas amizades e com uma energia eletrizante.

A estreia do DisruptHR em São Paulo tem o apoio e patrocínio das empresas “Futuristas” Brassuka, Citron Gastronomia, i9ação, Núcleo de Imagem, Projesom, Raul Botelho Fotografia e Thomas Brasil e dos “Exploradores” Apoena, Espaço Audios, Fábrica Escondida e Talkeen.

A organização é de Fabiana Nardi, Flavia Salmeron, Ricardo Fonseca e Vanessa Leme, das empresas Green Hat Web Solutions, Guide RH e Casa da Notícia Comunicação. O DisruptHR São Paulo também apoia o Instituto Oncoguia .