O que eu posso fazer por você? Pergunta a inteligência artificial

DisruptHR São Paulo edição 1.0 dá o que falar na comunidade de RH
julho 11, 2018
5 livros que todo profissional de RH deveria ler… ainda em 2018
setembro 5, 2018

O que eu posso fazer por você? Pergunta a inteligência artificial

Por Nereu Leme

Trabalho repetitivo não é para mim. Eu quero sossego, fazer coisas criativas e me divertir enquanto trabalho. Planejar, pensar. Isso é para humanos!

Apertar parafusos, atender um monte de gente querendo saber sempre o mesmo assunto é trabalho para robôs, chatbots e inteligência artificial. Felizmente a AI (Artificial Intelligence) já faz tudo isso para os humanos.

A AI também pode conversar com as pessoas, dar informações, tirar dúvidas, esclarecer. Ajudar na seleção de candidatos a emprego, selecionar pessoas com imparcialidade, sem preconceitos.

A inteligência até torce pelo mesmo time que eu. Duvida? Um torcedor virtual já está testando. Ele já fala comigo no WhatsApp, informando o próximo jogo e a escalação do meu time. E tira minhas dúvidas sobre jogos passados, campeonatos ganhos, como se fosse da minha turma, meu irmão.

No RH das empresas a AI já é case* de sucesso na indústria Pernod Ricard, um conglomerado francês que atua no ramo de bebidas alcoólicas.

Desde o mês passado, um robô IA, baseado na plataforma Watson, da IBM, batizada de Alex, foi contratado no departamento de Recursos Humanos.

Alex trabalha 24 horas e nos finais de semana, sempre disponível para todos: é só mandar uma mensagem no WhatsApp. Ele pode tirar as dúvidas sobre folha de pagamento, 13º salário, despesas corporativas, capacitação e treinamento, entre outras coisas.

Segundo Isabela Camanho, diretora de RH da Pernod Ricard Brasil, atender todos os 450 funcionários, tomava muito tempo. Agora, os funcionários do RH podem se dedicar a fazer outras atividades menos operacionais e que agreguem valor.

Nos dois casos, a plataforma Mones (baseada no Watson), foi desenvolvida pela Start Up Omotor, associada da Casa da Notícia AI.

Funciona assim na Pernod Ricard: o funcionário entra no WhatsApp ou no aplicativo da empresa, se identifica com um código e começa a conversar normalmente. Pode perguntar sobre férias, sobre benefícios, reembolso de despesas, cargo, plano de carreira, 24 horas por dia, todos os dias da semana, ou do fim de semana, esteja o funcionário onde estiver, no Brasil ou no exterior. E, tudo que ficar definido na conversa, como data das férias, será encaminhado para o sistema da empresa e realizado. Simples assim. Vai RH AI?

Quais questionamentos esse texto trás para você? Que desafios você vê para o RH no futuro com as novas tecnologias de AI? Que oportunidades estão sendo descobertas? Comente!

*O case da Pernod Ricard foi noticiado na matéria “Robô é contratado na Pernod Ricard e trabalha pelo WhatsApp” da revista Você S/ALeia mais: https://exame.abril.com.br/carreira/robo-e-contratado-na-pernod-ricard-e-trabalha-pelo-whatsapp/

Nereu Leme é fundador da Casa da Notícia, jornalista e atua com comunicação empresarial há mais de 40 anos. Foi palestrante da primeira edição do DisruptHR São Paulo com o tema Vai RH AI? – palestra que pode ser vista na íntegra aqui – http://bit.ly/NereuDisrupt

Os comentários estão encerrados.